Panela Velha é que faz comida boa! Será?

Muitos pensam que uma boa saúde começa com uma boa alimentação, mas a verdade é que o início vem ainda antes: no utensílio de preparo dos alimentos. Será que existe uma panela que é melhor para a saúde? Ou uma que faz mal? Vamos falar um pouco neste texto sobre os diversos tipos de panelas usadas atualmente e derrubar alguns mitos.

CERÂMICA E BARRO
Só use esse tipo de panela caso tenha um selo garantindo que não são usados compostos à base de metais pesados (chumbo, cádmio e mercúrio) em sua produção. As panelas antigas (com mais de 20 anos) desses materiais normalmente possuem esses compostos. Esses metais podem causar intoxicação grave, afetando o sistema respiratório, ósseo, circulatório, digestório e nervoso. Os efeitos são mais graves nas crianças, mas adultos também podem ter problemas, como anemias. Um problema que dificulta a identificação da causa dessas intoxicações é que pode levar 1 ano, após o início do uso dessas panelas, para manifestarem os primeiros sintomas nas crianças e até 4 anos em adultos. Caso use esse tipo de utensílio, dê preferência para os de barro ou de cerâmicas ofuscadas (não vitrificadas).
As panelas de barro devem ser muito bem lavadas (com esponja e detergente), pois podem ficar resíduos em seus poros e ocorrer proliferação de fungos e de bactérias. A vantagem é que o cozimento nela ocorre de forma lenta, deixando os alimentos, muitas vezes, com gosto mais agradável. Cozinheiros recomendam esse tipo de panela para o preparo de peixes e frutos do mar. Cozinheiros recomendam esse tipo de panela para preparar arroz, feijão, refogados, grelhados e ensopados, pois mantém o calor constante e uma temperatura um pouco mais alta. Os médicos recomendam para pessoas que sofrem com deficiência de ferro (anemia ferropriva), para mulheres em idade reprodutiva (que precisam de maior quantidade desse mineral), para crianças e para vegetarianos, já que o uso exclusivo dessas panelas pode fornecer até 20% da ingestão diária recomendada de ferro. É contraindicado para indivíduos com deficiência no metabolismo do ferro ou com níveis excessivos do mesmo no organismo, porém são problemas raros.

Uma dica de conservação é: após lavar a panela com esponja e detergente, seque-a no fogo. Se quiser, passe uma leve camada de óleo (untar) antes de guardar. Assim, estará protegida de ferrugem.
PRÓS: Fonte de ferro extra (diminui risco de anemia ferropriva); por manter a temperatura mais elevada, economiza gás.
CONTRAS: Não utilizar para frituras, pois acelera a deterioração do óleo; não guardar alimentos em panelas de ferro, pois o mineral continua sendo transferido ao alimento, podendo alcançar níveis muito elevados.

PEDRA SABÃO
Cozinheiros recomendam esse tipo de panela principalmente para o preparo de ensopados e caldos. Para lavar, use apenas esponja e detergente. Evite choques térmicos (como despejar alimentos frios na panela quente, ou vice versa) para não danificá-la.
PRÓS: Também elimina íons de ferro (além de magnésio, cálcio e manganês) na comida; retêm muito calor e segundo alguns, deixa os alimentos com sabor de “comida caseira”; tem característica antiaderente; tem alta durabilidade.
CONTRAS: O sabor de alguns alimentos fica impregnado na parede, então é bom ter uma exclusiva para o arroz, outra para o feijão e outra para ensopados; não é recomendada para frituras (principalmente quando é nova).

POLITETRAFLUORETILENO (“Teflon®”)
Esse tipo de panela antiaderente surgiu na década de 1960 e constantemente é condenada por alguns estudiosos, que acusam essa substância de ser prejudicial à saúde. Embora o efeito cancerígeno em humanos (no uso em panelas) não tenha sido comprovado, alguns cuidados devem ser tomados, para evitar que o revestimento à base de flúor se desprenda. Se notar que a camada de politetrafluoretileno (preta) está se soltando, troque a panela e não a use mais para preparar alimentos.
Uma dica para tirar manchas: passar pó de café com um papel absorvente.
PRÓS: Os alimentos não grudam na panela; sua limpeza é muito fácil; pode-se usar menor quantidade de óleo no preparo dos alimentos; o revestimento interno impede a passagem do material da panela (como o alumínio) para a comida.
CONTRAS: Esse tipo de panela ou
frigideira deve ser usado apenas em fogo baixo, pois temperaturas extremamente altas podem decompor a camada antiaderente (jamais pode ser esquecida no fogo); não usar colheres ou objetos metálicos para preparar os alimentos (usar apenas colher de pau ou de plástico); não lavar com esponjas de aço (usar apenas esponja comum e sabão); a durabilidade da camada antiaderente não é tão grande (varia de acordo com a marca e com a forma de uso), a não ser as marcas com tradição, que são bem mais caras; caso esquecida no fogo, começa a liberar CFC, uma substância nociva à camada de ozônio; embora pareça seguro, a possibilidade de causar problemas à saúde, a longo prazo, não pode ser totalmente descartada.

ESMALTADA
Cozinheiros recomendam este tipo de panela para carnes.
PRÓS: Possui bela aparência; distribui uniformemente o calor no alimento.
CONTRAS: o esmalte pode conter chumbo e cádmio, que são tóxicos; não usar para frituras (a temperatura pode subir em excesso, liberando substâncias nocivas à saúde); o revestimento interno não pode ser arranhado (seja por talheres ou por esponjas).
Esse tipo de panela se tiver mais de 20 anos de fabricação ou se foi pintada à mão, é contraindicado (devido aos metais tóxicos possivelmente presentes nas tintas).
Para evitar o amarelamento, passe álcool na área esmaltada. Para retirar manchas, faça uma solução com 2 colheres de chá de água sanitária + 600 ml de água. Deixe de 45 a 90 minutos em contato com a panela (não ultrapasse esse tempo, para não danificá-la).
Aceita um conselho? Panela esmaltada é para decoração e não, para alimentação!

ALUMÍNIO
Assim como as demais panelas, jamais use esponja de aço! Fazendo isso, removerá a camada de óxido de alumínio e fará com que grande quantidade do metal migre para a comida. Caso o alimento grude, deixe de molho com água e detergente. Se necessário, leve ao fogo para amolecer a sujeira.
Esquecer esse tipo de panela no fogo é outro problema, pois quando exposto muito tempo a altas temperaturas, esse metal começa a ser liberado para o ar, podendo prejudicar o sistema respiratório do cozinheiro ou de quem estiver por perto (sem contar o alumínio que estará sendo transferido para o alimento).
PRÓS: baixo preço; leves; fácil de encontrar.
CONTRAS: o alumínio quando ingerido em excesso parece provocar problemas ósseos, no sangue e no sistema nervoso (há possibilidade de ter ligação com a doença de Alzheimer); panelas de pressão liberam ainda mais alumínio do que as comuns; não cozinhar doces ou alimentos ácidos (como molho de tomate), para evitar maior desprendimento do mineral; com o uso o formato da panela sofre alteração (como abaulamentos no fundo); não aquecer a panela sem conteúdo (pois o alumínio começa a se fundir); não armazenar alimentos em panelas ou recipientes desse material.
Dicas: Secar imediatamente após a lavagem, para prevenir manchas. Caso já esteja manchada, encha a panela com água quente e suco de um limão (ou duas colheres de vinagre branco).
Para clarear fundos queimados, coloque água até a metade da panela com muito bicarbonato de sódio (ou vinagre ou sal de cozinha) e deixe ferver em fogo baixo até clarear.

COBRE
O cobre é um metal muito resistente à corrosão e um ótimo condutor de calor. Porém o cobre, quando usado em panelas, passa facilmente para os alimentos, principalmente os ácidos. Esse metal, mesmo em pequenas quantidades, pode causar grandes problemas gastrointestinais (náuseas, vômitos e diarreia). Quando a ingestão é de quantidades maiores, pode lesar os rins, articulações e prejudicar o sistema nervoso.
Esse material em panelas traz grandes riscos e poucos benefícios. Se não houver revestimento interno com outro material (como politetrafluoretileno, titânio ou aço inoxidável), é contraindicado sempre!
Para remover azinhavre, passe meio limão (não o suco e sim, o limão propriamente dito) num pires com sal. Esfregue-o na região manchada. Em seguida lave e seque bem. Outra opção são os polidores de cobre encontrados no mercado.
Quer uma dica? Evite panelas de cobre!

AÇO INOXIDÁVEL (Inox)
É composto por quase 80% de ferro (além de cromo e níquel), porém libera uma quantidade insignificante desse mineral nos alimentos. É o tipo de panela mais usada na cozinha profissional.
PRÓS: atinge altas temperaturas e demora para resfriar; distribui o calor de forma uniforme; alta resistência; bela aparência; cozimento rápido; pode ser usada para preparar qualquer alimento (exceto os excessivamente salgados, como peixes de mar).
CONTRAS: se utilizar sapólios ou esponjas de aço ocorrerá liberação de muito níquel (portanto, além poder prejudicar o sistema nervoso, pessoas “alérgicas” a esse componente não devem utilizar).
Dicas: Antes do primeiro uso, ferva bastante água na panela, por uma hora. Repita o processo por 3 vezes. Isso garante que, caso ainda não tenha sido feito na fábrica, quantidade mínima de seus componentes passem para os alimentos.
Caso esteja manchada, encha a panela com água quente e suco de um limão (ou duas colheres de vinagre branco). Para clarear fundos queimados, coloque água até a metade da panela com boa quantidade de bicarbonato de sódio (ou vinagre ou sal de cozinha) e deixe ferver em fogo baixo até clarear.

VIDRO
As panelas desse material são as melhores do ponto de vista médico. São indicadas por cozinheiros mais para sopas e molhos.
PRÓS: não liberam resíduos nos alimentos; possuem bela aparência; por ser transparente, é possível visualizar os alimentos sem retirar a tampa; limpeza muito fácil; se manuseada com cuidado, tem altíssima durabilidade.
CONTRAS: preço elevado; frágil (se derrubada); alguns alegam que o sabor dos alimentos é prejudicado; em frituras a aparência da carne não fica tão bonita; é de difícil manuseio quando quente; a transferência de calor para a comida não é uniforme; pode queimar a comida com mais facilidade.

Dicas: Para evitar manchas, não leve vazia ao fogo. Caso já esteja manchada, deixe em banho maria com uma solução de cinco colheres de sopa de bicarbonato de sódio + 1 litro de água.

Conclusão
Se usadas apenas da forma indicada, nenhuma panela está totalmente proibida, mas no momento da escolha, três aspectos devem ser considerados: os benefícios/malefícios à saúde, a praticidade e a funcionalidade. Os dois últimos dependem muito do tipo de alimento que será preparado. Já a saúde depende tanto do tipo de material componente da panela, quanto da pessoa que consumirá o alimento. Se quem vai se alimentar é uma mulher em idade fértil ou um vegetariano, a de ferro é uma das recomendadas. Porém, se é um indivíduo que sofre frequentes transfusões sanguíneas ou que tenha um problema na metabolização desse mineral, a tendência é que já tenha um excesso de ferro no corpo, portanto uma panela de vidro, por exemplo, é mais vantajosa. Possíveis alergias ou intolerâncias a algumas substâncias presentes nas panelas também devem ser levadas em consideração. Porém, de forma geral, podemos dizer que as panelas mais recomendadas, do ponto de vista médico, são as de vidro e as de pedra sabão, já que o risco de acumular microorganismos é menor e não liberam substâncias nocivas ao ser humano.

Alguns tipos de panelas (barro, pedra sabão…) devem ser “curadas” antes do primeiro uso (elas são compradas “cruas”), pois uma panela não-curada pode liberar elementos químicos em quantidade tóxica à saúde humana. O processo de cura, nas panelas de grandes marcas, já ocorre na fábrica. Porém, como garantia, pode-se fazer novamente o processo logo após a compra. A cura é feita untando a panela por dentro e por fora com óleo vegetal, enchendo-a com água e levando ao forno médio por duas horas. Quando a panela for de barro, pode-se curar colocando-a em banho maria em água fervente por 20 minutos (na internet você encontra vários outros modos de se fazer isso).

Agora, uma regra geral: Nunca arear panelas (pelo menos por dentro)! Isso facilita a liberação de grande quantidade de compostos que podem ser tóxicos ao organismo. Às vezes pessoas têm alguns problemas de saúde e não percebem que a causa pode ser coisas simples como essas.

Trabalhoso? Um gasto um pouco maior? Nem tanto! Talvez não precise mais de esponjas de aço e de sapólios. Mas o melhor de tudo é que sua saúde agradece.

Wésley de Sousa Câmara

Aspartame O Mal do Século

Com os nomes de  NutraSweet, Finn, ZeroCal e outras marcas comerciais, os adoçantes com  aspartame são extremamente perigosos por estarem presentes em toda parte, em refrigerantes, sucos, alimentos dietéticos e até mesmo em Vitaminas para crianças, remédios, pudins, gelatinas e adoçando o mais inocente cafezinho.

É encontrado também na Diet Coke e em outros refrigerantes diet.  O aspartame é uma neurotoxina, ou seja, uma droga que destrói o sistema nervoso e o cérebro. Sua molécula tem três componentes: ácido aspártico, fenilalanina e metanol. Já se comprovou que o ácido aspártico causa lesões cerebrais em experiências com animais.

A fenilalanina existente no aspartame é neurotóxica, quando isolada dos outros aminoácidos das proteínas. Facilita a ocorrência de ataques epiléticos e bloqueia a produção de serotonina, que é uma das substâncias  existentes no cérebro para regular o sono. Níveis baixos de serotonina, além de insônia, provocam depressão, angústia, mau humor e até sintomas de paranóia.

Finalmente, o metanol venenoso álcool de madeira que já cegou e matou milhares de pessoas converte-se depois de ingerido em formaldeído e ácido fórmico (principal componente do veneno da picada das formigas). O formaldeído, neurotoxina mortal que fica armazenada no tecido adiposo,  principalmente nos quadris e coxas, é  usado para embalsamar cadáveres e é um violento cancerígeno.

Há 92 sintomas documentados de envenenamento por estes produtos, entre os  quais encontramos:
a) dores de cabeça
b) ganho de peso
c) alterações no nível de colesterol
d) alterações na pressão sanguínea
e) urticária
f) dormência
g) fadiga
h) xeroftalmia (olhos secos)
i) dificuldade de salivação
j) irritabilidade
k) ansiedade
l) depressão
m) visão borrada
n) tonteira
o) vertigens
p) espasmos musculares
q) ataques epiléticos
r) taquicardia
s) zumbido nos ouvidos
t) perda de audição
u) cegueira
v) fala arrastada
x) insônia
w) perda do paladar

Um dos efeitos mais sarcásticos, embora não mortal, do aspartame é o GANHO DE PESO. Em sua ação sobre o cérebro, o aspartame faz com que a pessoa sinta mais desejo de comer carboidratos, farinhas, açúcares, amido e, assim, acaba engordando. Forma-se um círculo vicioso: a pessoa toma aspartame para emagrecer, mas passa a ingerir mais carboidratos, e aí engorda, logo, adota ainda mais alimentos com aspartame. A pessoa presa neste círculo vicioso fica cada vez mais vulnerável aos efeitos letais da droga.

Se você usa aspartame e sente dores de cabeça, depressão, fala arrastada, boca sempre seca, perda de memória, perda de sensação ou dores repentinas nos membros inferiores, perda de equilíbrio, vertigens, ataques de ansiedade, fadiga crônica, se seus olhos se irritam facilmente, coçam, ou se  sua visão está piorando ou com pontos brilhantes que piscam, se sofre descolamento de retina, ataques semelhantes aos epiléticos, espasmos musculares, palpitações cardíacas etc, você está com a doença do aspartame.

NOTA: Já reparou que quando você começou a usar o adoçante de aspartame você colocava 3 gotinhas e ficava satisfeito, mas agora, você praticamente aperta o frasco e esguicha um jato para adoçar a mesma quantidade de café ou suco! Pois bem, acontece que o aspartame está queimando as suas papilas gustativas, fazendo com que você consuma cada vez mais!

Muitos médicos têm diagnosticado esclerose múltipla quando o que existe na  realidade é intoxicação por metanol. Esclerose múltipla não mata, intoxicação por metanol sim.

Algumas doenças provocadas pelo aspartame:
a) tumores no cérebro e outros cânceres (seio, útero e pâncreas)
b) esclerose múltipla
c) epilepsia
d) fibromialgia
e) doença de Graves (disfunção grave da tireóide)
f) síndrome da fadiga crônica
g) doença de Epstein Barr
h) doença de Parkinson
i) mal de Alzheimer
j) diabete
k) retardamento mental
l) linfoma
m) defeitos no feto
n) lupus sistêmico
o) morte!

Na gravidez os efeitos do aspartame podem passar diretamente para o feto, que é sensível a doses mínimas. O tecido fetal não tolera o metanol, e o  médico americano Dr. James Bowen chama o aspartame de controle instantâneo da natalidade. A placenta pode concentrar a fenilalanina e  provocar retardamento mental. Testes com aspartame em animais produziram  tumores cerebrais e mamários. Não admira que o câncer de mama e a epilepsia estejam crescendo nos Estados Unidos.

Durante a Guerra do Golfo, vários caminhões norte-americanos, carregados de latas de bebidas dietéticas para os soldados, cruzaram o deserto sob o sol  escaldante. Acontece que a 30°C, o aspartame libera o metanol na lata. Milhares de homens e mulheres voltaram para casa com síndrome de fadiga crônica e estranhos sintomas de intoxicação. Só depois de algum tempo as autoridades identificaram a origem daqueles sintomas.

Nota: imagine o que acontece num caminhão de Coca-Cola light parado num engarrafamento no verão de nossas grandes cidades!

Muto grave também é o efeito devastador do aspartame sobre os diabéticos. O Dr. H. J. Roberts especialista americano em aspartame e em diabetes),  relatou, num artigo, 58 casos de reações adversas do aspartame em diabéticos. Já o Dr. Russell Blaylock, neurocirurgião, disse, em seu livro  “Excitotoxinas: o sabor que mata” (editado nos EUA pela Health Press) que o aspartame pode provocar a diabete clínica. Ele afirma que as excitotoxinas que podem ser encontradas nos adoçantes com aspartame levam os neurônios à morte, provocando danos cerebrais de vários graus. Diz também que “o que realmente preocupa quanto ao aspartame é sua  associação com tumores cerebrais, pancreáticos, uterinos e  ovarianos … e que tantos pacientes desenvolvam uma síndrome semelhante à de Alzheimer com a exposição prolongada.”

As empresas norte-americanas NutraSweet e Searle, cujos químicos descobriram o aspartame durante experiências com um remédio para úlcera, pertencem à  multinacional Monsanto. Em 1969, a Searle contratou o Dr. Harry Waisman para estudar os efeitos do aspartame em primatas. Sete bebês macacos receberam o produto no leite. Um morreu em 300 dias; cinco outros tiveram ataques epiléticos. A Searle eliminou estes resultados quando submeteu o estudo à  Food  and Drug Administration (FDA), órgão do governo americano que estuda e libera para consumo humano alimentos, aditivos e remédios.

Muitos dizem que o aspartame não pode fazer tanto mal, se foi liberado pela FDA. Quanto a isso, é bom conhecer alguns dados.  Vários estudos comprovam que 51% das drogas aprovadas pela FDA apresentam riscos sérios e podem causar reações adversas que levam à invalidez ou até à   morte. Interessante é que o chefe da FDA, Arthur Hayes, ignorou os relatórios de sua própria comissão de pesquisas para aprovar o aspartame, e depois foi trabalhar na empresa de relações públicas da multinacional que fabrica o aspartame. O promotor federal Sam Skinner foi designado para processar a Searle por causa da fraude nos testes existente em seu pedido de aprovação do produto, mas mudou de lado e foi trabalhar junto aos  advogados da Searle. O caso morreu quando os prazos se esgotaram.

Até 1996, a FDA recebeu mais de 10.000 queixas de consumidores contra o NutraSweet. Isso corresponde a 80% do total de queixas sobre aditivos alimentares, mas a FDA nada faz para alertar o público, que supõe que um produto tão anunciado como saudável deve ser seguro. Não seria a primeira  vez que a FDA aprovou uma droga nociva.

Pesquisadores do Massachusetts Institute of Technology (MIT) observaram 80 pessoas que sofreram ataques cerebrais depois de comerem ou beberem produtos com aspartame. O Community Nutrition Institute declarou a respeito:”Estes 80 casos ajustam-se à definição da FDA de risco iminente para a saúde pública, que exige da própria FDA a retirada imediata do produto do mercado.”

Os relatos e informações expressos no texto acima refletem a opinião do autor, ficando o nosso website isento de qualquer responsabilidade com relação à utilização e aplicabilidade dessas informações. Este texto da pesquisadora americana Barbara Alexander Mullarkey.

NOTA :

Esteviosídeo – Stévia

O seu poder adoçante pode ser 300 vezes superior à sacarose. Não contêm calorias. Extraído da planta stevia rebaudiana, planta nativa da América do Sul. Uma vez que a stevia é uma planta ela contém outras propriedades que complementam o seu poder adoçante. Estudos apontam o seu poder em suprimir o crescimento bacteriano nos dentes, regula a pressão arterial, tem poder diurético e de regular os níveis de açúcar no sangue. Não houveram ainda efeitos colaterais associados, por isso deve sempre que possível ser o edulcorante de escolha. O seu sabor doce não é afetado pelo aquecimento então pode ser utilizada em chás e outras bebidas, além do preparo de sobremesas em substituição ao açúcar.

7º Chakra Coronário – Sahasrara

7º Chakra Sahasrara

7º Chakra
Sahasrara

 

Significado do nome: Chakra das Mil Pétalas.

Localização: No topo da cabeça. E o portal da espiritualidade, do reconhecimento da existência de Deus em nós, no outro e em todo o universo.

Aspectos a serem compreendidos: Iluminação.

Mantra: Sham.

Elemento: Todos os elementos, inclusive o éter, em suas forças mais sutis.

Funções: Iluminação; espiritualidade plena; transcendência; manifestação do Divino. Segundo o Satchakra Nirupana: “O Lotus das mil pétalas é o mais brilhante e mais branco que a lua cheia, tem a sua cabeça apontada para baixo. Ele encanta. Seus filamentos estão coloridos pelas nuanças do Sol jovem. Seu corpo é luminoso, é aqui o objetivo final de Kundalinî após ativar os outros Chakras. O indivíduo que atinge a consciência do sétimo chakra realiza os planos da irradiação (torna-se iluminado como o Sol), das vibrações primordiais, da supremacia sobre o prana, do intelecto positivo, da felicidade, da indolência”

6º Chakra do 3º Olho ou Frontal – Ajnã

6º Chakra Ajnã

6º Chakra
Ajnã

Significado do nome: Autoridade, poder, comando intuitivo.

Localização: Entre as sobrancelhas, relaciona-se com a glândula pituitária.

Aspectos a serem compreendidos: Intuição e a consciência. Capacidade de se observar sem julgamento.

Cor: Dourado para concentração falta de memória e confiança. Violeta, tranqüilizante, calmante e purificador. Clareia e limpa a corrente psíquica do corpo e da mente, afastando problemas de obsessão mental e psicose.

Mantra: Om.

Elemento: Presença de todos os cinco elementos, com três gunas que são manas (mente), buddhi (intelecto), Ahankara e chitta (o ato de ser – o ser).

Fases da vida: 35 a 42 anos.

Funções: Austeridade; intuição; serenidade. É o chakra sede da Faculdade do Conhecimento: Buddhi: (conhecimento intuicional), Ahankara (eu), Indriyas (sentidos) e Manas (mente). É representado por um triângulo branco simbolizando a yoni e, no meio, um lingan (órgão masculino). No centro do Chakra está o yantra do som Om, o melhor objeto de meditação.

“Meditando nesse centro, o praticante W a luz’; como uma chama incandescente. Fulgurante como o Sol matutino, claramente brilhante, reluz entre o ‘Céu e a Terra’” Satchakra Nirupana.

5º Chakra Laríngeo – Vishuddha

5º Chakra Vishudha

5º Chakra
Vishudha

Significado do nome: Puro ou “Centro da Pureza”.

Localização: Sobre a garganta, comunica-se com a glândula tireóide que está relacionada ao crescimento e aos processos oxidativos, e com as paratireóides que controlam o metabolismo do cálcio. Este Chakra governa pulmões, brônquios e voz. Está ligado à inspiração, à comunicação e à expressão com o mundo.

Aspectos a serem compreendidos: Comunicação interna e externa – esclarecimento que conduz ao estado divino, consciência e crenças (no que você acredita e se apega).

Cor: Azul, atua como tranquilizante na aura e regenerador celular. Traz quietude e paz mental, estimula a busca da verdade, a inspiração, a criatividade, a compreensão, a fé (confiança na existência) e está associada à gentileza, ao contentamento, à paciência e à serenidade. Turquesa, estimula a comunicação em público. Para tonificar, laranja e violeta.

Mantra: Ham – concentra-se na garganta.

Elemento: Ar, mas num sentido mais sutil, associado ao som. Fases da vida: 28 a 35 anos.

Funções: Autoconhecimento e a felicidade. Segundo o Satchakra Virupana, “quem alcança o conhecimento mediante a concentra­ção constante da consciência neste loto, converte-se num grande sábio e encontra a paz. O indivíduo se eleva e se purifica de todos os carmas; morre-se para o passado e nasce-se novamente para a realização da unidade”.

4º Chakra do Coração ou Cardíaco – Anahata

4º chakra - anahata

4º Chakra
Anahata

 

Significado do nome: “Intocado” ou “Som não produzido” (batidas do coração).

Localização: Situa-se na região do tórax e está conectado com a glândula timo, responsável pelo funcionamento do sistema imunológico. É o Chakra do coração, centro energético do amor. A elevação das energias do Chakra do plexo solar até o coração acontece em indivíduos que estão desenvolvendo a capacidade de pensar e atuar em termos de coletividade.

Aspectos a serem compreendidos: amor, compaixão, perdão, verdade e gratidão.

Cor: Rosa, estimula o amor incondicional e verde é relaxante do sistema nervoso. A cor violeta seda esse centro.

Mantra: Yam – a concentração deverá estar centralizada no coração, desfazendo qualquer bloqueio na região cardíaca, proporcionando controle sobre o prana e a respiração.

Elemento: Ar, auxilia o funcionamento dos pulmões e do coração.

Fases da vida: 21 a 28 anos.

Funções: Intermedia os Chakras superiores e inferiores; impulso de se ligar à verdade, ao amor, reequilíbrio, altruísmo e compaixão. Este Chakra se expande em todas as direções e dimensões, como uma estrela de seis pontas.

3º Chakra Plexo Solar – Manipura

3º chakra - manipura

3º Chakra
Manipura

 

Significado do nome: Cidade das Gemas ou Cidade das pedras preciosas.

Localização: Um pouco acima do umbigo. Rege o pâncreas, glândula que possui função exócrina e endócrina e que secreta o suco pancreático, cujas enzimas ajudam a digestão das proteínas, carboidratos e gorduras. A parte endócrina da glândula é formada por pequenos grupos de células chamadas ilhotas de langerhan, produtoras da insulina, que possuem um papel importante no controle do metabolismo da glicose. a área de influência deste Chakra é o sistema digestivo: estômago, fígado e a vesícula biliar, além do sistema nervoso.

Aspetos a serem compreendidos: Escolhas, dentro do possível, do que você quer. Individualidade, poder pessoal, como você se vê, sua identidade no mundo.

Cor: Amarelo dourado para tonificar. É ativador dos nervos mo­tores, exercendo influência no sistema nervoso. Estimula a bílis e possui ação vermífuga, diminui a função do baço, porém estimula a função do pâncreas, fígado e vesícula biliar. Fortalece as articulações, o sistema digestivo e linfático. É regenerador dos tecidos, acelerando o processo de cicatrização. Estimula a função peristáltica e o raciocínio lógico. Violeta, azul ou verde para sedar.

Mantra: Ram – o principal ponto de concentração durante a pro­dução deste som é o umbigo. Traz longevidade.

Elemento: Fogo, auxilia a digestão e a absorção do alimento fornecendo a energia vital.

Fase da Vida: De 14 a 21 anos.

Funções: Desenvolvimento do ego e da identidade individual; impulso de liderança; praticidade; trabalho.

2º Chakra Sexual – Swadhisthana

2º Chakra - Svadhisthana

2º Chakra Svadhisthana

 

 

 

2º Chakra Esplênico Umbilical ou Sexual – Swadhisthana

Significado do nome: Lugar-morada do ser ou o “fundamento de si próprio”.

Localização: Localizado na lombar e abaixo do umbigo no nível do púbis, está relacionado com as glândulas supra-renais, regendo a coluna vertebral e os rins. As supra-renais são constituídas por uma medula interna, coberta por um extrato chamado córtex e são responsáveis pela produção de adrenalina. Rege os rins, sistema reprodutor, sistema circulatório e bexiga. As energias como a paixão, a expansão, sensualidade e a criatividade são manifesta­das por este Chakra.

Aspectos a serem compreendidos: Poder de seduzir e atrair, criatividade e relacionamento.

Cor: Laranja – tonifica; é uma cor acolhedora e estimula a alegria. É uma cor social que traz otimismo, expansividade e equilíbrio emocional. Traz confiança, automotivação e senso de comunidade (auxilia a sair do choque). Azul ou verde para sedar.

Mantra: Vam (concentrando-se abaixo do umbigo).

Elemento: Água – forma circular – três quartos da Terra são co­bertos de água, três quartos do peso de uma pessoa são de água – a essência da vida. Os sons da água ampliam a vibração desse chakra, permitindo um fluxo sem obstruções.

Fase da vida: de 8 a 14 anos.

Funções: Energia de criatividade, purificação e impulso emocional; é o centro da procriação, manifesta-se sexualmente, mas sob o aspecto de sensação e prazer; fantasias e desejos sexuais. Neste Chakra inicia-se a expansão da personalidade.

1º Chakra Básico ou Raiz – Muladhara

Chakra 1 - Muladhara

Chakra 1 – Muladhara

 

Significado do nome: Fundação, ou suporte da base.

Localização: Localizado nos órgãos genitais e na pélvis, relacionado com as gônadas (glândulas sexuais), governa o sistema reprodutor. Este Chakra anima a substância do corpo físico, é a vontade, o poder e o instinto de sobrevivência. É base da montanha, a ligação com a Terra. Concentra as energias da Kundalinî, que uma vez despertadas e controladas progridem coluna acima, seguindo um padrão geométrico similar ao padrão apresentado na dupla hélice das moléculas de DNA, que contêm o có­digo da vida.

Aspectos a serem compreendidos: Sobrevivência, alimento, conhecimento, auto-realização, valores (segurança financeira, coisas materiais), sexo (procriação), longevidade e prazer.

Cor: vermelho em brasa para tonificar. É a cor mais quente e densa. Aquece e estimula a circulação. Estimula o fluido da medula espinhal e o sistema nervoso simpático; energiza o ligado, estimulando os nervos e músculos. Vitaliza e organiza o corpo físico. Violeta, azul ou rosa para sedar este Chakra.

Mantra: Lam (concentrando-se nos genitais).

Elemento: Terra – o mais denso dos elementos. É uma mistura dos quatro elementos: água, fogo, ar e éter.

Fase da vida: Desde a união do espermatozóide com o óvulo, até sete ou oito anos.

Funções: É o Chakra onde nasce e reside a energia kundalínica que se movimenta em espiral, pelas nadis Ida e Píngala, e distribui por todo o corpo do indivíduo o impulso de vida: é também o centro erótico do ser.

Nadis: são correntes, canais, corredores ou filamentos de energia vital que circulam por todo o corpo, alimentando a vida e mo­vimentando os Chakras. Semelhantes aos meridianos de acupuntura, seus pontos são chamados na China de tsubos. Seu número é de aproximadamente 72.000. As nadis estão intimamente relacionadas aos Chakras. A nadi central é conhecido por Sushumna e encontra-se situada no centro do corpo pela coluna vertebral, que recebe o nome de meru danda. A Sushumna nasce no Muladhara Chakra, e se estende corpo acima, até unir-se ao Sahasrara Chakra (que se situa no alto da cabeça). No espaço fora do meru danda, estão dois outros nadis, denominados Ida e Pingala. Ida é o canal esquerdo, de natureza feminina, lunar, emocional e materna. Por estar associado à procriação e à purificação, também é conhecido como Ganga (o rio sagrado da índia). Pingala é o canal direito, de natureza masculina, solar, racional e dinâmica.

Algumas pessoas têm dominante a energia (nadi) lunar (emoção) e outras solar (razão). O praticante adiantado consegue manter esses temperamentos equilibrados. Todas as nadis do corpo se originam no períneo em forma de um ovo (kanda). Todos os sistemas místicos hindus são radicais sobre a importância de manter-se esses canais energéticos absolutamente purificados.

Sushumna: nadi principal por onde Kundalinî sobe. Está relacionada à medula espinhal.

Ida: canal esquerdo transportador das correntes lunares, natureza feminina visual e emocional, produção de vida, energia materna, respiração esquerda que proporciona estabilidade para a vida. A narina esquerda é aberta durante o dia, equilibra a energia solar criando um equilíbrio para si, tornando-nos mais rela­xados e mais alertas mentalmente.

Píngala: canal direito, transporta correntes solares, natureza masculina, depósito de energia destrutiva, também purificador. A narina do lado direito é de natureza elétrica masculina, verbal e racional. Torna o corpo físico mais dinâmico (eficiente e ativo durante horas noturnas, aumentando a saúde). Quando um ca­sal tem um orgasmo, sem repressão e com consciência, algumas vezes elevam a Kundalinî, nutrindo todos os Chakras por meio de Ida e Píngala.

Reflexologia Trata Dores e Stress

reflexologia chinesa

 

Reflexologia Podal é uma técnica específica de pressão que atua em pontos reflexos precisos dos pés de forma sistemática, onde atinge-se todo o corpo, orgânico, físico e mental. Esses pontos reflexos estão dentro do nosso sistema, nas solas dos pés, nas palmas das mãos, nas orelhas, no pescoço e nas íris.

Normalmente nos pés é onde se encontra a região mais acessível ao toque e o acúmulo energético é maior neste local. Tocando nesses pontos acontece uma reação em cadeia em todo corpo, porque os pontos estão se libertando das toxinas, gerando um processo de limpeza e com isso reativa a sensação de bem estar em todo corpo logo a sessão terminada.

Reflexologia Podal é uma das terapias oferecidas pela Acupuntura Guarujá e Terapias Orientais

pontos de reflexologia podal

Descobriu-se também que a reflexologia podia aliviar a dor em determinada parte do corpo do paciente, aplicando pressão em outra parte.

Quando esse fluxo de energia flui desimpedido, permanecemos saudáveis, e quando está bloqueado por tensão ou congestão, ocorre a doença. Mediante o tratamento dos pontos reflexos, os bloqueios são desfeitos, e a harmonia é restaurada a todos os sistemas. Tratando um pé de cada vez, trabalhamos nos reflexos da sola, os lados e peito do pé, usando as técnicas digitais apropriadas.

O principal benefício da reflexologia é o relaxamento. Ao reduzir a tensão, também melhora a irrigação sanguínea, faz aflorar um funcionamento nervoso desimpedido, restabelece a harmonia, entre todas as funções do corpo e combate o seu estresse.

« Previous Entries